Postagens Recentes

14 de dezembro de 2016

Resenha | A Mais Pura Verdade - Dan Gemeinhart


Título: A Mais Pura Verdade
Autor: Dan Gemeinhart
Editora: Novo Conceito
Páginas: 224
Ano: 2015
*Livro cedido em parceria com a editora

Sinopse: Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha.
Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças.
Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram.
Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier. Nem que seja a última coisa que ele faça.
A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável.

Mark é um garoto de 12 anos que, cansado de lutar contra um câncer, resolve fazer algo que talvez seja a maior aventura de sua vida: escalar o Monte Rainier, uma das maiores montanhas da América do Norte. Para realizar seu sonho, o garoto foge de casa, sem o consentimento de sua família, levando apenas alguns pertences: uma máquina fotográfica, caderno e caneta, equipamento de alpinismo, passagem - somente de ida - e Beau, seu fiel e companheiro cachorrinho.

Mark tem uma melhor amiga, Jessie, na qual confia todos os seus segredos. Antes de fugir, o menino deixa uma carta para ela, uma vez que só Jessie sabe os verdadeiros motivos que levaram Mark a cometer a fuga.


A Mais Pura Verdade é um livro tocante, mas não pelo fato do protagonista ter câncer. O livro não foca na doença, pois Mark é um menino bastante determinado que não quer ser tratado como doente. Durante toda sua jornada até o Monte Rainier, ele e Beau passam por várias situações que fazem com que ele prove para si mesmo, e também para o câncer, que é capaz de realizar qualquer coisa sozinho. 

Ao mesmo tempo que o protagonista é determinado, persistente e corajoso, ele me incomodou em alguns momentos por eu ter achado que algumas de suas atitudes foram egoístas demais. Essa ideia fixa de querer escalar uma montanha sozinho fez com que ele não pensasse no sofrimento que sua família e sua amiga estavam passando. Além disso, ele colocou sua vida e de seu cachorrinho em risco em vários momentos. 

Outro ponto que também me incomodou foi o fato de algumas atitudes do protagonista, e algumas situações presentes no livro, não terem coerência com a idade e a condição em que o menino encontrava-se, pois Mark passou por situações pesadas demais para um garoto com câncer. 

Em contrapartida, gostei muito da relação entre Mark e Beau. Ambos passaram por muitos momentos difíceis que nos mostraram o quanto a amizade deles era bonita e verdadeira. Chega um momento em que a empatia com eles é tão grande que torcemos para que tudo dê certo para os dois e ficamos tensos com a cena de maior aflição presente no livro, a mesma cena representada na capa.


A narração é bem simples e alterna-se entre a ida de Mark até a montanha, em primeira pessoa, e a visão do que está se passando na casa dele e de sua amiga Jessie, em terceira pessoa. 

A edição do livro é muito bonita e condiz muito com a história. A cada inicio de capítulo ficamos sabendo quantos quilômetros faltam para o garoto alcançar a montanha. O livro possui uma fonte grande que, aliada aos capítulos curtos e a escrita simples do autor, faz com que a leitura flua de forma rápida.

A Mais Pura Verdade é uma história emocionante que passa uma linda mensagem de amizade e de que não devemos desistir de algo que acreditamos. O livro pertence ao gênero sick-lit, "literatura enferma" em português, mas não possui uma carga tão dramática quanto muitos livros do gênero. Recomendo para os leitores que gostam de uma leitura leve, inspiradora e que ensina uma boa lição de vida. 

15 comentários:

  1. Olá, Sávio!

    Ainda não conhecia o livro!! E por sua resenha, posso falar que já preciso ler ele!!
    Beijos,
    https://teattimee.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esse livro, mas achei a história bem interessante. Adorei sua resenha e as fotos que tirou do livro! Confesso, entretanto, que não sou muita fã do gênero sick-lit, pois costumo acabar a leitura destruída de tanto chorar hahahahhah Beijinhos, Beatriz.

    O Diário de uma Escritora Iniciante

    ResponderExcluir
  3. Quando li que o livro não foca na doença, logo pensei em A Culpa é das Estrelas. Tem muito drama, mas não é o drama focado naquilo (apesar de ser) e sim no sentimento de liberdade e de felicidade que os personagens querem/e sentem.
    Entendo o que você disse... deve ser para engrandecer o protagonista (?) talvez. E aí colocam ele e o dog em situações difíceis para mostrar que eles são fortes até para o piores obstáculos.
    MELDELS COMO ASSIM A CENA DA CAPA ACONTECE :C ain *coração partido*
    Amo a contagem que existe. Fico na contagem junto com o personagem e enviando pensamentos positivos para ele conseguir chegar até a montanha. Você me descreveu quando disse: leitura leve, inspiradora e que ensina uma boa lição de vida <3
    Preciso ler esse livro! Hehe
    Ótima resenha!
    Abraço!

    @utopiananuvem
    http://www.utopiananuvem.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Sávio, tudo bem

    Eu não curto sick-lit, para ser bem sincera, mas me agrada saber que a história é leve!Tem uma premissa interessante e uma capa muito bonita!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Oi Sávio, tudo bem?

    Não conhecia o livro, mas a capa e premissa são instigantes. Tenho uma queda por personagens egoístas, pois sempre acabo me identificando hahaha
    Mas tenho medo que não goste pelo fato do personagem ter apenas 12 anos e passar por uma grande aventura, parece muito fantasioso. Mas fiquei curiosa e talvez darei uma chance!

    Beijos,

    Gnoma Leitora

    ResponderExcluir
  6. Olá, Sávio.
    Eu amei esse livro. Achei maravilhosa a dedicação do Beau e chorei litros no final da história. Eu entendi a fixação dele para ir até as montanhas e acredito que pela idade dele, ele não ia pensar mesmo em quem estava ficando para trás. É uma ótima história.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi Sávio,
    O livro está na minha lista, mas esse final de ano não vai dar para ler.
    Já fico meio depressiva e ler um livro sobre doenças me deixaria pior, rs.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oie,
    não curto muito este estilo de livro e este não foi muita exceção.

    bjos
    Blog Vanessa Sueroz
    3 livros por 20 reais

    ResponderExcluir
  9. Oi, Sávio.
    Já vi esse livro algumas vezes em promoção, mas nunca despertou aquela vontade rs.
    Ando me polpando de livros com drama rs.
    Beijo

    Te Conto Poesia ♥

    ResponderExcluir
  10. Oi!!
    Eu vi esse livro tão baratinho na Bienal mas fiquei receosa de ler justamente por ser um sick-lit, não curto esse tipo de leitura. Mas lendo sua resenha, e vendo que não é tão triste assim, acho que daria uma olhadinha.
    Beijo! https://leitoraencantada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Sávio!
    Eu não sabia nada da história desse livro. Enquanto, li a sua explicação da história, me fez esses questionamentos que te incomodaram no livro. Sério, uma garoto fugir para escalar uma montanha sozinho? As vezes algumas histórias acabam perdendo um pouco a mão nisso.
    Eu acho que eu até leria o livro, para entender mais como isso deu, essa ideia de querer escalar a montanha e tudo mais.

    beijos
    Psicose da Nina | Instagram

    ResponderExcluir
  12. Eu comecei a ler esse livro e não consegui terminar. Essas histórias me maltratam muito. Eu sou muito chorona kkkk. Mas sei que é maravilhosa e carregada de ensinamentos e lições :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  13. Sávio, morro de vontade de ler esse livro! Sou amante de cachorros e histórias a respeito de amizade, então essa sinopse me ganhou de longe. Tenho uma amiga com câncer, e a ideia de que a doença não determine uma pessoa me deixa muito satisfeita.
    Adicionei ele para minha lista, sem dúvidas.
    Beijos,
    Carol | Fantasma Literário
    http://ofantasmaliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Foi um prazer ler esse livro, Sávio. Eu lembro que ele me trouxe uma sensação ótima. E também analisei o egoísmo do personagem e até incompreensões. Todos nós somos agoistas em alguns vários momentos dá vida, e assim não é diferente se estivermos diante de um momento que talvez seja definitivo. A amizade de Beau e Mark é realmente linda, o cachorro é muito fofo. Eadorei como o autor soube construir uma história em que não sentimos empatia por uma pessoa por causa de sua doença, mas sim por ela ser quem é, mesmo c seus defeitos.

    Abraço.
    Diego,Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogsppt.com

    ResponderExcluir